24/11/2008

Fruta podre vs Fruta fresca

Li isto num blog de uma rata da turma...e não é que tem todo o sentido.



Os homens limitam-se muitas vezes a apanhar a fruta fácil do chão, tocada, meio podre, mas que é fácil e pode alimentar no caso de terem aqueles ataques insaciáveis, do que ir buscar um escadote ou subir à árvore para apanhar a fruta de melhor qualidade, com sumo e intocável...

Depois queixam-se...da indigestão

iccccccc.....

Rata Gucci

PS:Obrigada Rita!!!

25/10/2008

A música é boa mas...

A música é bonita, toda a gente sabe que Puccini estava inspirado quando compôs "Nessum Dorma", uma das árias de "Turandot", mas sinceramente pensei muito pouco na música, quando vi este "piqueno" anúncio dos queridos Dolce & Gabanna.



ihhhhcccccccc
Gucci rules with Dolce & Gabanna

08/10/2008

Vale a pena pensar nisto!


Mais palavras para quê...

Falar na guerra no Iraque, nas eleições no EUA, depressão económica, queda na bolsa!!!

Se quando para satisfazer um homem lhe basta um broche feito por uma rã!!!


Basicamente acho que podiam fazer como as anoréticas, tiravam as costelas flutuantes, ficavam com mais flexibilidade e faziam um auto fellatio, já agora...se fosse de um tamanho decente...faziam uma festa de ânus...a eles próprios...sugestões boas!!!


Basicamente 99,9% devem concordar que apenas necessitam de uma boneca insuflável com CCM (c..., cu e mamas) e umas pernas para andar para a cozinha...já agora umas mãos que lhes façam o jantar...antes comer pernas de rã!


Vale a pena pensarem nisto, que tal?


14/09/2008

Girls power...este Outono...nos EUA

A ver quando chega cá...mas quer-me parecer que não vamos perder este...pois não?


24/07/2008

Enganar o estômago ou comer o chapéu?


Por uma questão etimológica, ou não, começámos um diálogo no outro dia, com algo tão simples como duas palavras serem sinónimos: comer e enganar...

Depois desse ponto de partida o interesse, dependendo dos envolvidos, começou a aumentar e daí dissertámos para questões que envolveram até provérbios e ditados tão antigos quanto: "se me enganares vais ter de casar comigo", "vou enganar o estômago", "comer e calar", entre outros. A partir daí duas palavras que para mim tinham significados tão distintos como simples, fizeram abrir à minha frente uma panóplia de interpretações nada católicas, as quais passo a escrever:


- Se me enganares, vais ter de casar comigo, que será igual ao, assim que me comeres estás feito ao bife (que também se come...literalmente), expressão essa acrescentada por uma não menos interessante de outra rata, que disse: "só comes de pois de casar"


-A partir daí comecei a lembrar-me da máxima, de agarrar os "maridos" pelo estômago, que sendo este um sinónimo de comida, significaria também enganá-los e comê-los...ou comê-los e enganá-los.


- A esta alegoria juntou-se a de outra rata, que disse apetecer-lhe enganar alguém, observação essa que a partir deste momento passa, na minha cabeça, a ter sentido dúbio...pois a partir de agora terei de decidir que sempre que o, estarei a referir-me a comer algo ou alguém.


- Depois podemos pensar em outras hipóteses "Enganei-me no caminho" = versão encapotada para dizer que não gostei do que comi, ou então "Comi demais" = versão encapotada para o excedi-me e agora estou fodida...


-Agora compreendo finalmente expressões como:


"fui enganada"="fui comida"

"comi um gajo/a" = "enganei-o/a"

"comi e não gostei" ou "comi e vou repetir" = Enganei e continuei a fazê-lo


Confesso que a partir de hoje sou uma rata diferente e a partir de hoje ainda me irrita mais a questão do novo acordo ortográfico...que teimo em não aceitar...Afinal...só como o que quero...


iccccc


Rata Gucci

07/03/2008

É só um verniz...que me faz feliz...mai nada


Ontem pintei as unhas de púrpura, coisas que só eu entendo porquê... O meu colega por acaso gostou muito delas, mas das meias púrpura também, ou seria das pernas? :) Guess


O verniz custou menos 5 euros que o habitual, uma poupança fantástica quando se compra algo que apenas vai acrescentar mais um à nossa colecção, mas que nos faz sentir muito bem...tal e qual como a terceira ou quarta saia preta que se compra, por dois euros, mas que nos fará sentir muito mais bonitas.


Eles dizem que somos loucas, eu digo que somos lindas, e não é preciso muito para nos fazerem felizes...Como dizia a minha amiga Channel...Senti-me mais realizada ao comprar um vestido, que ao passar mais um dia enfadonho trancada com a neura na agência.

Este verniz não estala :)...pelo menos enquanto não me der a neura...ahahahah
Palavras para quê...Girls just (really) want to have fun...


Rata Gucci

21/02/2008

Fico contigo até a música acabar...

E nem mais um minuto,

porque o tempo é curto e o relógio continua a cobrar-me os segundos, os minutos, as horas e os dias em que fico à tua espera.

Lembro-me da minha infância, de ser miúda e pedir ao meu pai para ficar mais um minuto e me contar a história do vento Norte e do pescador.


De esperar que o dia acabasse e não me importar de adormecer.


Ele podia não estar de manhã, mas eu acreditava na história e sabia que quando esta acabasse havia sempre mais uma para contar, e outra, e mais outra.


Contigo perdi o Norte, esqueci-me do pescador, deixei de ver os segundos, os minutos, as horas e os dias passar.


Hoje e sempre só fico com alguém até a música acabar...já não acredito em contos de fadas...
nem mais um minuto!
Rata Cheirosa Gucci

01/02/2008

Palavras de outra que podem ser de qualquer uma

KATE NASH, canta The Nicest Thing, com uma letra fabulosamente simples e poderosamente forte.
Não sei meninas ratas se partilham da minha opinião, mas esta British Girl diz tudo. Quem não pensou já isto, mas sem o conseguir dizer assim? Eu já...


"All I know is that you're so nice,
You're the nicest thing I've seen.
I wish that we could give it a go,
See if we could be something.

I wish I was your favourite girl,
I wish you thought I was the reason you are in the world.
I wish I was your favourite smile,
I wish the way that I dressed was your favourite kind of style.

I wish you couldn't figure me out,
But you always wanna know what I was about.
I wish you'd hold my hand when I was upset,
I wish you'd never forget the look on my face when we first met.

I wish you had a favourite beauty spot that you loved secretly,
'Cos it was on a hidden bit that nobody else could see.
Basically, I wish that you loved me,
I wish that you needed me,
I wish that you knew when I said two sugars, actually I meant three.

I wish that without me your heart would break,
I wish that without me you'd be spending the rest of your nights awake.
I wish that without me you couldn't eat,
I wish I was the last thing on your mind before you went to sleep.

All I know is that you're the nicest thing I've ever seen;
I wish that we could see if we could be something..."


Rata Cheirosa Chanel




Relações na montra


Quando temos um par de calças que nos estão boas e nos são confortáveis, não significa que não olhemos para outras na loja. Acontece que um dia de tanto olharmos para as outras calças nas lojas, eventualmente um dia expeimentamos mesmo umas. Depois deste passo, das duas uma, ou estamos dispostos a pagar o seu elevado preço no momento ou vamos embora e decidimos pensar melhor no assunto. No caso de decidirmos pensar melhor, acontece uma de duas coisas, ou o par de calças novo acaba por nos sair da cabeça, ou pensamos nelas constantemente, vamos à loja e saímos de
lá com elas, pagando o preço do imprevisto das novas e de ter de deixar as que nos estavam boas e confortáveis.

Rata Cheirosa Chanel

28/01/2008

A kiss is still a kiss



Ele passa por ela e diz-lhe:

"Posso pedir-te um beijo ou estou a ser atrevido?"
"Estás a ser atrevido..."
"Mas é só um beijo!"
"Então não peças...dá-me...já! A kiss is just a kiss..."

Por favor! Um Benicio del Toro à temperatura ambiente, para comemorar o primeiro ano de Ratas Cheirosas


ass:Gucci

10/01/2008

Ode às mulheres da minha vida

São muitas, algumas já nem me lembro do nome. As minhas antepassadas perdem-se na linha do tempo e por isso lhes peço desculpa. Beatriz, Ema, Maria, Carolina, Catarina, Joaquina,Piedade...algumas que me lembro, ainda trocámos olheres confidências, ou pelo menos ouvi algumas das suas histórias. Corre em todas elas o sangue lusitano, oriundo de Lisboa, Ribatejo, Minho, Raia de Espanha, e até galego...este aqui mais antigo e ibérico.

Venderam fruta, fizeram contrabando de café, choraram com um filho morto nos braços, entre as águas do rio Minho, nessa altura era proibido comprar café e vendê-lo fora de fronteira. Deixaram os filhos com outros filhos, e viajaram pelas terras com os maridos, vendiam peles e castanha e feijão, e com olhos azuis e verdes, e cabelos negros e ruivos morreram por amor (...se calhar também mataram...de desgosto).


Não casaram, foram mães de filhos de pais que não o queriam ser, casaram por amor e sem ele, casaram para fugir ao trabalho do campo e cuidaram das quintas, da terra, da vinha...até roubaram um marido a Deus, que não resistiu a uma pele branca e cabelos cor de cobre.


Esguias, altas, mas também morenas e roliças, todas elas são exemplos de valentia e prova disso é a mãe, a minha, que por vontade do destino se dedica hoje às artes, para contrariar um desejo que viu impedido quando era ainda miúda.


Aprenderam a costurar, bordar, coser e cerzir, a cozinhar e a cuidar deles, mas vestiram calças, andaram com juntas de bois, arregaçaram as mangas e disseram que não muitas vezes (outras houve...que disseram que sim). Graças a todas e a cada uma delas sou a mulher que sou, e graças a um gene forte ergo a cabeça e orgulho-me em ser mulher.


Choraram, perderam filhos, ou tiraram-nos simplesmente para não faltar mais pão às bocas que já tinham de alimentar. Usaram saia comprida, corpete e mini-saia, mas foram sempre senhoras. Lutaram e lutam ainda hoje por sonhos, passam a mensagem de que a vida é uma passagem, um pequeno legado que vamos deixar, de gene em gene, de sorriso em sorriso, de lágrima em lágrima.


Choraram, sim, muitas vezes, de alegria e outras de tristeza, muitas em silêncio, e outras em solidão, mas sempre acalentando a esperança que o dia depois de amanhã vai ser melhor, com mais um pão para comer, um filho para criar, um companheiro para manter, mas sobretudo para encher de força cada uma das gerações, com o legado do nome que um dia abdicaram por amor.


Duarte, Vasconcelos, Lourenço e Paixão, são alguns dos nomes que deixaram para trás, mas que eu carrego ainda e sempre no meu sangue! Obrigada mães, sem vocês não seria a mulher em que hoje me tornei, e por todas vós hei-de ser...um pouco mais.


Ass : Gucci